Sessão Ordinária do dia 26/02 – Sobre a “greve” dos motoristas

O SR. JORGE BERNARDI:- Sr. Presidente e Srs. Vereadores. Cumprimento inicialmente o Dr. Carlos Miguel Riella, Presidente da Fundação Pró-Renal. Quero cumprimentar também o Dr. Omar Fatuch e os demais membros dessa entidade que aqui estão. Senhoras e senhores, evidentemente sabemos que hoje é um dia previsto. Esta greve, sabemos que é uma greve que tem todos os indícios de um nocaute. Acredito que a Justiça do Trabalho deve investigar esse aspecto para ver os interesses dos donos das empresas de ônibus que querem continuar explorando o povo de Curitiba, porque cada centavo a mais na tarifa representa três milhões e meio que eles recebem no final do ano. E o Tribunal de Contas apontou e esta Casa, através da CPI, que essa tarifa está superfaturada no mínimo de quarenta a cinquenta centavos. Significa que no final do ano essas empresas estão recebendo a mais aproximadamente cento e trinta milhões de reais, ou seja, esse dinheiro que sai de milhões de curitibanos e que vai para meia dúzia de empresários. Uma família só detém aqui em Curitiba mais de 70% das linhas de ônibus da nossa cidade. Temos que fazer alguma coisa. O Tribunal de Justiça tem que fazer alguma coisa, o Ministério Público tem que olhar para o povo de Curitiba e do Paraná. Quero dizer aqui que pelo menos o Tribunal de Contas nos surpreendeu positivamente. Sr. Presidente e Srs. Vereadores, ainda vamos debater muito porque também defendo o direito de um salário justo aos motoristas e cobradores, mas entendo que provavelmente isso deve ser investigado. Os empresários estão jogando os motoristas e cobradores contra a população de Curitiba para aumentar o seu lucro. Aproveito também esse momento para fazer uma denúncia gravíssima (D) , muito séria que devemos comover a todos. Tem uma senhora, de nome Liege Naira Camargo, mãe de um filho de seis anos que está prese desde o dia6 de dezembro na região Metropolitana de Curitiba. O seu crime, acusada de ter roubado um litro de cachaça e dois litros de coca cola, de um real e setenta e cinco centavos. Essa mulher foi presa em flagrante com outras duas pessoas e também depois como chegou na delegacia. E, ela responde já um processo penal, mudou, disse que tinha outro nome e o Juiz decretou a prisão preventiva dessa mãe. Pela manhã eu vi que um ator foi preso no Rio de Janeiro. Isso não acontece apenas no Rio de Janeiro. Aqui em Curitiba. Enquanto grandes ladrões do povo estão soltos. Uma mulher acusada de roubar um litro de cachaça e uma coca cola está presa. Eu quero registrar aqui o trabalho dos Advogados, Bruno Henrique Borges e Ricardo Marcassa, que são advogados ativos e estão defendendo gratuitamente essa senhora. Obrigado