Olimpíada, Lava Jato e impeachment

jorge olimpiada lavajatoO vereador curitibano Jorge Bernardi (REDE), em sua coluna deste sábado (6), analisa o “boom” pré-golpe de Estado, iniciado com a escolha do Brasil para sediar a Copa e a Olimpíada. Agora, lamenta o colunista, em tempo de Lava Jato, “o povo brasileiro vive uma situação oposta com uma crise econômica sem precedentes”. Abaixo, leia, ouça, comente e compartilhe a íntegra do texto:

Olimpíada, Lava Jato e impeachment

Jorge Bernardi*

O Brasil é um país maravilhoso. Somente quando a gente sai do país, fica algum tempo no exterior e depois retorna é que valorizamos as coisas daqui. A alegria e a diversidade cultural e racial do povo, a culinária, o clima e as belezas naturais, tudo são motivos de orgulho.

Em junho de 2008, o Rio de Janeiro foi escolhido como a cidade sede da Olimpíada de 2016, vencendo Baku, Madri e Praga, na Europa, Chicago nos Estados Unidos, e Doha e Tóquio na Ásia.

Naquele ano o Brasil vivia um dos melhores momentos de sua história: a economia estava a todo vapor, havia um clima de desenvolvimento no ar; o pré-sal prometia levar o país ao patamar dos grandes produtores mundiais de petróleo. Respirava-se o ar do otimismo: Copa do Mundo em 2014, Olimpíada em 2016. Estávamos no topo.

Agora, quando os Jogos Olímpicos estão começando, o povo brasileiro vive uma situação oposta com uma crise econômica sem precedentes. Primeiro foram as manifestações na Copa das Confederações, em 2013. Milhares de jovens saíram às ruas para protestar contra o preço abusivo das tarifas de ônibus e, depois, contra tudo o que há de errado no país.

Após fracasso da Copa do Mundo, no campo e principalmente do legado com obras superfaturadas, corrupção em todos os setores da administração pública, a situação mudou.

A Petrobrás e a Operação Lava Jato, a construção de estádios, ferrovias, usina nuclear e hidrelétricas superfaturadas levaram o país a crise.

No Paraná foi desvendada a quadrilha de fiscais que desviaram R$ 1 bilhão e a Operação Quadro Negro revelou R$ 100 milhões que foram roubados da construção de escolas.

Veio o impeachment da presidente Dilma, o governo provisório de Temer formado por mais dos mesmos. Mudou tudo para que tudo ficasse como estava. Nada mudou. O grande artífice do impeachment, deputado Cunha, exemplo máximo de corrupção, perdeu a presidência da Câmara dos Deputados. Aparentemente ele ainda continua mandando. Se perder o mandato e fizer delação premiada, cai o Governo Temer.

A esperança dos brasileiros nas próximas semanas estará focada nos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. Espera-se que os nossos atletas tenham um bom desempenho, não haja violência, nem atentados.

A Olimpíada está ocorrendo num momento ruim do Brasil, espera-se que no final tudo saia bem. O Brasil, sem dúvida, depois desta depuração que está ocorrendo, será uma nação muito melhor, com ética, mais justa e sustentável.