Para se eleger em 2018, Beto Richa vai fazer farra com R$ 600 milhões do contribuinte em propaganda

richa prof bernardi

O governador Beto Richa já iniciou sua jornada em busca da honra perdida. Ele perdeu a popularidade ao arruinar as finanças do estado, gerando déficit fiscal de R$ 4,6 bilhões. Usou como remédio o pacote tributário contra o contribuinte paranaense: aumento do IPVA em 40%; aumento do ICMS na energia elétrica e de mais de 100 mil itens de consumo popular, inclusive da cesta básica, feijão, arroz, carne. Com isso a inflação do Paraná foi a maior do Brasil.

 

Outra mancha no Governo Richa foi a maior fraude fiscal jamais vista no Paraná, desvendada pela Operação Publicano, envolvendo amigos e o primo do governador, Luiz Abi. A propina, segundo o Gaeco, ultrapassa R$ 60 milhões, e sonegação a R$ 600 milhões, afetando as finanças do estado e municípios. Fiscais e empresários presos também são acusados de pedofilia.

 

Os paranaenses contemplavam passivamente os aumentos de impostos, a corrupção e exploração sexual de menores, afinal o seu governador fora reeleito com 55% dos votos. No auge da popularidade, Beto Richa decidiu se apropriar do dinheiro da previdência dos servidores. A revolta e depois o massacre aos professores, em 29 de abril, com 220 feridos, fizeram com que a popularidade do tucano caísse das nuvens ao fundo do poço.

 

Como recuperar a imagem do governador? Fácil, com o dinheiro do contribuinte. Beto Richa tem mais de R$ 200 milhões, em 2015, entre recursos da Secretaria de Comunicação Social, e outros órgãos da administração direta e indireta, para queimar em propaganda. O massacre publicitário, nos veículos de comunicação e redes sociais, será de R$ 550 mil por dia. No primeiro mandato, o Governo Richa gastou, em média, R$ 145 milhões por ano em propaganda.

 

Já se sente o marketing do governador. Ele assume postura firme, corajosa determinada, em vídeos gravados para as redes sociais orientado por marqueteiros que, depois são reproduzidos em noticiários. A opinião pública começa a mudar. Mas quando ele concede entrevistas sai pérolas como: “Fernanda nem sabe o que um auditor fiscal”.

 

Beto Richa tem ainda três anos e meio de mandato e, certamente, vai multiplicar os recursos de publicidade acrescentando mais R$ 600 milhões até o final do governo. Em 2018, quando os acontecimentos de 2015 estiverem quase esquecidos, com a imagem recuperada, Beto Richa poderá ser eleito senador ou deputado federal pelo Paraná. Assim caminha a humanidade.